Questionário de clima organizacional: como fazer?

Considerado uma ferramenta de gestão estratégica, o questionário de clima organizacional é capaz de sintetizar aos departamentos de Recursos Humanos (RH) e gestores de uma empresa o nível de engajamento, satisfação e motivação dos funcionários. A partir das respostas obtidas com essa abordagem, é possível prover ações focadas no desenvolvimento das pessoas, o que garantirá produtividade para o negócio e também poderá diminuir o turnover ou rotatividade de colaboradores. Medir a satisfação das equipes em trabalhar onde trabalham, no entanto, não é tarefa simples e exige dedicação.

 

Para saber quais processos atrapalham as diferentes áreas de uma empresa, quais treinamentos podem ser interessantes para cada pessoa e quais grupos enfrentam problemas de relacionamento entre si ou entre gestores, é necessário saber conhecer as perguntas certas a serem feitas no momento ideal e do jeito mais amigável. Afinal, estamos falando de clima organizacional, algo que não é tão simples de medir.

 

Abaixo, separamos 7 dicas que você deve levar em consideração antes de fazer um questionário de clima organizacional. Confira:

 

Busque apoio

A fim de demonstrar credibilidade, seriedade e envolvimento amplo e irrestrito, busque apoio na diretoria antes de realizar um questionário de clima organizacional. Deixe claro, a partir do depoimento direto e indireto de gestores, o quão importante este momento pode ser para a sua empresa. Caso você esteja  na diretoria, reforce o que os profissionais de RH disserem a respeito da pesquisa e, de preferência, acompanhe-a de perto. Essa parceria é fundamental para que esse processo seja levado até o final e, principalmente, traga resultados.

 

Prime pela transparência

Há variados interesses entre quem realiza um questionário de pesquisa de clima organizacional. Identificar a atmosfera de trabalho costuma ser o mais comum, mas esse método também pode ser utilizado para saber se os benefícios oferecidos por uma empresa, como vale-alimentação e plano de saúde, estão agradando aos colaboradores ou ainda ter um panorama da organização a partir da experiência de uma pessoa que está sendo desligada.

 

Frente a tantas possibilidades, o seu objetivo com um questionário de clima organizacional deve ficar bastante claro – tanto para você, quanto para as pessoas que irão respondê-lo. Afinal, elas têm todo o direito de saber por que irão interromper as atividades para dedicar-se a responder às perguntas. Não deixe de indicar o prazo que essa pesquisa estará sendo feita: tempo para responder, bem como deadline para divulgação dos resultados.

 

Incentive, não obrigue a participação

No momento de explicar o funcionamento de um questionário de clima organizacional, que deverá estar explicitado de forma bastante simples como um manual de instruções, é preciso ter bastante cuidado com o tom da mensagem. É claro que você e os demais envolvidos neste levantamento torcem para que a adesão chegue próximo a 100%, mas vocês devem tomar cuidado para que essa empolgação toda não se converta em uma espécie de ameaça.

 

É preciso entender que deve haver incentivo, mas não obrigação em relação às respostas de um questionário de clima organizacional nas empresas. Saiba que as pessoas costumam reagir melhor a esse tipo de proposta quando são convidadas e não intimadas. Em vez de forçar, demonstre às pessoas o quão importante pode ser a participação delas – para si próprias e para a empresa como um todo.

 

Garanta a confidencialidade do processo

Um argumento que quase sempre funciona no momento de convencer um funcionário a responder um questionário de clima organizacional está relacionado à confidencialidade. Esse aspecto também pode garantir respostas mais honestas às questões propostas. Afinal, você deseja espontaneidade e honestidade, não é mesmo?

 

Para isso, você deverá passar segurança ao respondente. Não basta apenas informar que haverá sigilo nas respostas e que nenhuma delas será avaliada isoladamente. Essa postura deve aparecer em todos os aspectos: desde as mensagens que vão anteceder a pesquisa, passando pela ferramenta que irá comportar as respostas (moderna, mas sem instabilidades ou que permitem análises individuais) e, finalmente, o relatório final que irá apresentar o diagnóstico da empresa.

 

Pergunte o essencial

Tenha em mente o que você realmente deseja com aquele questionário de pesquisa de clima organizacional. Se esforce para ter somente uma resposta para essa intenção. Com ela em mente, desenvolva as perguntas de modo com que o funcionário não desista de responder ao levantamento. Comece com uma pergunta bem direto ao ponto, como “você tem ideia do que a empresa espera sobre seu trabalho?”. Passe por outra “você tem disponível materiais e recursos necessários para desempenhar bem a sua função?” e finalize com “você teve alguma oportunidade de aprendizado ou crescimento dentro da empresa no último ano?”. Além disso, as chances de você perder o foco quando faz questões demais são altas.

 

Trabalho, relacionamento interpessoal, integração setorial, comunicação, trabalho em equipe, estilos de liderança, políticas, condições de trabalho e do ambiente, além de imagem da empresa são as grandes temáticas que podem estar presentes no questionário de clima organizacional do seu negócio. Lembre-se de adaptá-las para a sua própria realidade, a fim de tornar todo o processo mais factível para quem participa dele.

 

Não demore em dar um retorno para o questionário de clima organizacional

Uma vez que as equipes de suas empresas se dedicaram a responder às inquietações dos gestores e do RH, elas devem ser recompensadas por isso. Não estamos falando de nenhum retorno financeiro por cada pesquisa respondida, mas de puro e simples feedback sobre aquele processo. A cada retorno do questionário de clima organizacional, você deve sinalizar o recebimento, além de agradecer pelo tempo destinado às respostas.

 

Mais do que isso, deve indicar uma média de tempo para que o resultado seja compartilhado com todos os funcionários. Além de saber quantas pessoas também procuram cursos, estão insatisfeitas com salário ou desejam ascender profissionalmente, quem respondeu o questionário quer saber quando exatamente todos esses anseios serão encaminhados.

 

Estipular uma data (que você possa cumpir) para essa divulgação pode fazer com que você não deixe para depois a análise dos dados coletados. Transmita ao time a sensação de que eles foram ouvidos e, portanto, são importantes para a empresa. As chances de eles contribuírem novamente em uma outra oportunidade são maiores nesse cenário.

 

Repita o processo periodicamente

O questionário de clima organizacional mais difícil de ser feito costuma ser o primeiro. Depois do debut, fica mais simples repetir a pesquisa frequentemente – pelo menos ano a ano. Algo que nós, inclusive, encorajamos. Até porque há cenários que mudam rapidamente e, portanto, você deve estar atento às alterações. E também para captar tendências, que podem estar expressas a cada resposta. Por fim, para que as ações implementadas sejam devidamente medidas, continuadas ou terem rotas alteradas.

 

Pesquisa ou diagnóstico de engajamento?

Não raro, ouvimos gestores se lamentando a respeito da ineficácia de uma pesquisa de engajamento. Após alguns minutos de conversa, é possível entender o por quê. Para chegar a um verdadeiro diagnóstico a respeito da organização, é preciso profundidade (possível por meio de metodologia), indicadores certeiros (que ultrapassem ambiente e clima da equipe, mas contemplem aspectos pessoais), captação de insights (através de escuta qualificada), mergulho na realidade do público, entre outros.

 

Frente a esse cenário, a pesquisa torna-se obsoleta, porque não traz tantos resultados como o diagnóstico de engajamento é capaz de proporcionar. Mais ainda se houver a combinação de métodos.

 

A disposição de prover mudanças na empresa é a principal premissa de um questionário de clima organizacional. Não se esqueça disso! Tem alguma dúvida ou relato a ser compartilhado? Escreva para a gente!